Visão Geral

A CBO Holding S.A., em conjunto com suas controladas (coletivamente, “Grupo CBO”) é uma das pioneiras no Brasil no setor de apoio marítimo à indústria de exploração e produção (“E&P”) offshore de óleo e gás natural em operações de alto grau de complexidade, atuando por meio da sua frota de embarcações, com tripulação própria que suportam a cadeia de E&P de forma essencial desde a exploração, passando pela produção e descomissionamento. O Grupo CBO conta atualmente com a segunda maior frota de embarcações de apoio marítimo no país, com características tecnológicas adequadas e prontas para operar junto ao setor de E&P, sobretudo em águas de alta profundidade, como o Pré-Sal brasileiro.

As principais atividades da Companhia incluem (i) prover soluções de logística para seus clientes, como transporte de equipamentos, materiais e insumos de produção para sondas de perfuração e as embarcações petrolíferas; (ii) realizar operações como manuseio de âncoras e reboque (Tug) de plataformas de petróleo e suprimentos, combate a incêncio, suporte offloading, operações TO (terminais oceânicos); (iii) resposta a derramamentos de óleo, com lançamento de barreiras e outras alternativas de combate, além do recolhimento e transporte de óleo derramado; (iv) manutenção, inspeção e reparo das instalações e sistemas submarinos, bem como no apoio de estabilização de equipamentos submarinos por meio de guindaste, entre outros; e (v) operações de Logística Integrada, que preveem a Gestão e Operacionalização de toda a cadeia suprimentos para as Unidades Marítimas, integrando logística offshore, armazenamento onshore e transporte terrestre de cargas e suprimentos.

A história da CBO começa em 1978 sob o controle do Grupo Fischer. Em 2013, a Oceana Offshore S.A., companhia criada pelo Pátria Infraestrutura Fundo de Investimentos em Participações (“Pátria Investimentos”) e com participação minoritária do BNDES Participações S.A. (“BNDESPar”), adquiriu as sociedades do então Grupo CBO. Em operação conjunta à referida aquisição, ocorreu a entrada da Vinci Partners (“Vinci”) como acionista da Companhia.

Juntos, Pátria, Vinci e BNDESPar auxiliaram a Companhia na profissionalização de suas atividades, elevando o Grupo CBO a altos patamares de gestão e governança corporativa de modo a estar pronto para executar mais um ciclo de crescimento. Este ciclo foi marcado pela expansão da frota via construção de embarcações de alto padrão em estaleiro próprio da Companhia.

Em 2019, o Grupo CBO acredita ter iniciado um novo ciclo de crescimento, agora pautado pela aquisição de embarcações existentes (e já operacionais) visando atender ao representativo aumento de demanda por embarcações de apoio que a Companhia acredita que irá ocorrer no Brasil em virtude da exploração do pré-sal. Desde então, foram adquiridas 8 embarcações aptas a operarem, consolidando uma frota de 40 embarcações em outubro de 2021.

Cinco destas novas embarcações adquiridas foram fruto de um processo de M&A com a Finarge, que resultou na incorporação da empresa brasileira Finarge Apoio Maritimo Ltda, dona de 1 AHTS e na aquisição de 4 AHTS pertencentes à italiana Finarge Armamento Genovese SRL., totalizando 5 AHTS na operação. Parte do pagamento da transação foi realizado por meio de aumento de capital social com emissão de novas ações da CBO, representando 5,60% de seu capital social, que foram subscritas e integralizadas pela Finarge Armamento Genovese SRL., que passou a integrar o quadro de acionistas da Companhia.

O Brasil tem uma das maiores reservas de petróleo em águas profundas do mundo e hoje em dia apenas uma pequena parte dessas reservas são exploradas, demonstrando o grande potencial de crescimento do setor de óleo e gás no país. Como o custo de exploração no pré-sal é um dos menores do mundo, a exploração e a produção de petróleo no Brasil terão um papel relevante ao longo dos próximos anos. Com um forte plano de investimentos, o Grupo CBO busca se manter entre os líderes da indústria, crescendo sua frota em número e teor tecnológico, sempre mantendo seu compromisso com a indústria nacional.

  • 1978

    Uma das primeiras companhias de embarcações de apoio offshore a operar no Brasil.

  • 1998

    Primeira Companhia a construir um PSV no Brasil, CBO Campos.

  • 2002

    Construção e operação do OSRV CBO Vitória, embarcação capaz de conter o espalhamento de óleo nos mares.

  • 2004

    Começou a construir suas próprias embarcações em estaleiro próprio. Conversão de PSVs em RSVs, possibilitado pela flexibilidade dos projetos de suas embarcações.

  • 2007

    Construção de embarcações do tipo AHTS e RSV, em um mercado dominados pelos PSVs.

  • 2011

    Criação de um centro de treinamento para desenvolvimentos de práticas de manobra da sua tripulação e prepará-los para situações críticas.

  • 2018

    Criação de um centro de inteligência de operações.

  • 2019

    Criação de um programa de Excelência com instruções detalhadas sobre o que a companhia espera de suas operações.

    Aquisição do CBO Supporter, reforçando a estratégia de crescimento da companhia.

  • 2020

    Parceria com a Wartsila para o primeiro projeto de conversão de embarcação híbrida da América Latina. Aquisição do CBO Endeavour, o mais novo AHTS 24.000 BHP a integrar a frota de embarcações da Companhia.

  • 2021

    Assinatura do contrato de Logística Integrada, sendo a primeira empresa do setor a prestar esse tipo de serviço para o Mercado Offshore no Brasil.

    Chegada do CBO Supporter no Brasil no dia 01 de fevereiro.

    Aquisição do mais novo PSV da frota, o CBO Energy, em 15 de julho.

    Aquisição da Finarge, incrementando com mais 5 AHTS a frota da CBO.

Mapa do Site

close